O objetivo de monitorizar e avaliar programas desportivos 7. 1.

Author/s: Michael Lamont

Keywords: monitorização, avaliação, medição de resultados e ferramentas

Introdução

O que é a monitorização e a avaliação?

A plataforma online Sportanddev.org (2013) define a monitorização como a recolha sistemática e rotineira de informação de projetos e programas para quatro objetivos principais:

  • Aprender com a experiência para melhorar as práticas e as atividades no futuro;
  • Para ter uma responsabilização interna e externa dos recursos utilizados e dos resultados obtidos;
  • Para tomar decisões informadas sobre o futuro do programa;
  • Para promover a capacitação dos beneficiários do programa.

Monitorização define-se como uma tarefa periódica e recorrente que começa na fase de planeamento de um programa. A monitorização permite que os resultados, processos e experiências sejam documentados e utilizados como base para orientar os processos de tomada de decisão e de aprendizagem. Monitorizar é verificar a progressão em relação ao planeado. Os dados obtidos através da monitorização serão utilizados para avaliação.

Avaliação é avaliar de forma sistemática um programa concluído ou uma fase de um programa em curso. As avaliações avaliam os dados e as informações recolhidas, informando decisões estratégicas e melhorando, assim, o programa e os resultados no futuro. A avaliação é composta por uma série de etapas progressivas, a mais importante das quais é a recolha de dados pertinentes que são posteriormente usados para fazer uma apreciação sobre o valor de um programa (Dugdill & Stratton, 2007).

O sportanddev.org (2013) afirma uma avaliação deve ajudar a tirar conclusões sobre cinco aspetos fundamentais do programa:

  • Relevância do programa para os objetivos predeterminados.
  • Eficácia do programa.
  • Eficiência da implementação do programa.
  • Impacto do programa.
  • Sustentabilidade da execução do programa.

A informação recolhida durante o processo de monitorização fornece a base para a avaliação. O processo de avaliação é uma análise da informação recolhida que olha para as relações entre os resultados, os efeitos e o impacto global do programa (“Sportanddev.org”, 2013).

A Organização Mundial de Saúde recomenda que entre 10-20% dos custos totais de intervenção devem ser gastos na avaliação (Dugdill & Stratton, 2007). No entanto, a avaliação pode ser vista como problemática, demorada e pode ter uma prioridade inferior em comparação com a execução do programa (Stratton et al., 2005).

Um estudo recente (Sport England, 2017) avaliou a evidência até agora que apoia o impacto dos programas desportivos em 5 áreas-chave:

  • Bem-estar físico
  • Bem-estar mental
  • Desenvolvimento individual
  • Desenvolvimento social e comunitário
  • Desenvolvimento económico

O estudo descreveu as evidências que apoiam os benefícios positivos dos programas desportivos e de atividade física em cada uma destas áreas, nomeadamente:

Bem-estar físico

Boas evidências na prevenção de doenças, maiores efeitos terapêuticos e de gestão da reabilitação, melhorias na força, equilíbrio, marcha e competências motoras e na manutenção de um peso saudável. Outros resultados incluem uma melhoria do sono, aumento da energia, desenvolvimento saudável dos primeiros anos, reduzido envolvimento em comportamentos de risco (por exemplo, tabagismo), redução da mortalidade, gestão eficaz da dor e melhor qualidade de vida durante o envelhecimento.

Bem-estar mental

Existe uma forte associação entre a prática de exercício físico e a obtenção de resultados positivos em termos de bem-estar mental, mas os mecanismos causais são menos bem compreendidos. Existem desafios à volta das várias definições utilizadas na área e da natureza subjetiva das medições. Há muita evidência de que o desporto e a atividade física contribuem para o prazer, felicidade e satisfação com a vida. A interação social parece ser central para tal. A autoestima e a confiança podem ser aumentadas através da oportunidade de ganhar novas competências e amizades. Há potencial de os programas desportivos e de atividade física reduzirem os sintomas de ansiedade e depressão dos participantes. Outros resultados incluem uma melhor função cognitiva, benefícios para as pessoas com demência e impactos à volta da regulação das emoções.

Desenvolvimento individual

Até à data, existem evidências significativas que indicam o potencial de resultados positivos de participar ou fazer voluntariado, em especial para os jovens, mas o conjunto mais vasto de circunstâncias à volta de um indivíduo determinará a sua eficácia em relação a esses resultados. Foram identificadas evidências de melhoria dos resultados escolares, quer diretamente (melhores notas e comportamento), quer indiretamente (melhoria de competências, como por exemplo a concentração e o trabalho em equipa).

Há impactos positivos sobre a empregabilidade (oportunidades de emprego, salário, desempenho profissional e satisfação), nomeadamente evidências (limitadas) para os jovens “nem-nem”. O desporto pode promover a autoeficácia (motivação e empenho) de grupos que incluem pessoas idosas e jovens descontentes. Outros resultados incluem uma maior vontade de fazer voluntariado e o desenvolvimento de competências interpessoais (como, por exemplo, a integridade, responsabilidade e liderança).

Desenvolvimento social e comunitário

Os resultados podem ser definidos em relação a uma série de conceitos que são, muitas vezes, desafiadores de demonstrar (por exemplo, capital social, confiança e grupos sociais). Muitos destes estão positivamente associados com participação ou voluntariado, mas a eficácia de qualquer intervenção depende de um conjunto mais vasto de condições. O desporto funciona como um veículo de interação entre pessoas de diferentes origens, pode colmatar divisões entre grupos (como, por exemplo, entre homens e mulheres e pessoas de diferentes origens profissionais) e desempenha um papel fundamental na integração dos migrantes. Um pequeno número de publicações sobre capital social de união sugere que o desporto ajuda a construir relações dentro das comunidades. Para os voluntários, as motivações e os resultados sobrepõem-se a nível pessoal e comunitário (por exemplo, ligar-se a terceiros aumenta o sentido de comunidade e cidadania).

Desenvolvimento económico

As fontes analisaram o uso de uma grande variedade de técnicas para calcular o valor económico e não foi possível avaliar, com precisão, a força do conjunto de provas sem uma avaliação crítica de todos estes métodos.

Houve algumas evidências sobre o impacto direto do setor do desporto na economia, principalmente, em termos de valor acrescentado bruto e de criação de empregos. Houve mais evidências nos impactos indiretos, nomeadamente, redução dos custos de saúde, devido a uma população mais saudável, redução da criminalidade e melhoria da empregabilidade. Esta avaliação concluiu que:

  • O conjunto de provas é mais forte para os resultados relacionados com o bem-estar físico e mental e depois para os resultados relacionados com desenvolvimento individual. É mais fraco para o desenvolvimento social e comunitário e para os resultados relacionados com o desenvolvimento económico.
  • Estudos mais longitudinais poderiam ajudar a fortalecer a base de evidência, identificando os efeitos de longo prazo sobre o bem-estar mental, o desenvolvimento individual e o desenvolvimento social e comunitário.

O foco principal deste estudo foi examinar a evidência do impacto dos programas desportivos, em vez de como projetar programas para alcançar os resultados de forma eficaz. Outros grupos de trabalho concentraram-se na criação de um quadro para identificar, monitorizar e avaliar os resultados dos programas desportivos, nomeadamente o The Sport for Development Coalition (2013).